Sexta-feira, 04 de Setembro de 2020
22a. Semana do Tempo Comum
Cor liturgica: Verde

Evangelho do dia: São Lucas 5, 33-39

Primeira leitura: Coríntios 4, 1-5
Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: 1Que todo o mundo nos considere como servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus. 2A este respeito, o que se exige dos administradores é que sejam fiéis. 3Quanto a mim, pouco me importa ser julgado por vós ou por algum tribunal humano. Nem eu me julgo a mim mesmo. 4É verdade que a minha consciência nóo me acusa de nada. Mas não é por isso que eu posso ser considerado justo. 5Quem me julga é o Senhor. Portanto, não queirais julgar antes do tempo. Aguardai que o Senhor venha. Ele iluminará o que estiver escondido nas trevas e manifestará os projetos dos corações. Então, cada um receberá de Deus o louvor que tiver merecido.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 36 (37)
- Confia no Senhor e faze o bem, e sobre a terra habitarás em segurança. Coloca no Senhor tua alegria, e ele dará o que pedir teu coração.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus.

- Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; confia nele, e com certeza ele agirá. Fará brilhar tua inocência como a luz, e o teu direito, como o sol do meio-dia.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus.

- Afasta-te do mal e faze o bem, e terás tua morada para sempre. Porque o Senhor Deus ama a justiça, e jamais ele abandona os seus amigos.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus.

- A salvação dos piedosos vem de Deus; ele os protege nos momentos de aflição. O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, defende-os e protege-os contra os ímpios,
e os guarda porque nele confiaram.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 5, 33-39

- Aleluia, Aleluia, Aleluia.
- Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida ((Jo 8,12);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo: 33Os fariseus e os mestres da Lei disseram a Jesus: 'Os discípulos de João, e também os discípulos dos fariseus, jejuam com freqüência e fazem orações. Mas os teus discípulos comem e bebem.' 34Jesus, porém, lhes disse: 'Os convidados de um casamento podem fazer jejum enquanto o noivo está com eles? 35Mas dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, naqueles dias, eles jejuarão.' 36Jesus contou-lhes ainda uma parábola: 'Ninguém tira retalho de roupa nova para fazer remendo em roupa velha; senão vai rasgar a roupa nova, e o retalho novo não combinará com a roupa velha. 37Ninguém coloca vinho novo em odres velhos; porque, senão, o vinho novo arrebenta os odres velhos e se derrama; e os odres se perdem. 38Vinho novo deve ser colocado em odres novos. 39E ninguém, depois de beber vinho velho, deseja vinho novo; porque diz: o velho é melhor.'

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Comentário ao Evangelho por Santo Agostinho, Bispo e Doutor da Igreja
Sermões sobre a primeira carta de São João, I, 2

«Enquanto o noivo está com eles»

São João escreve: «Nós vimo-l'O, dele damos testemunho» (1Jo 1,2). Onde O viram eles? Na sua manifestação. Como foi a sua manifestação? Foi sob o sol, por outras palavras, a esta luz visível. Mas poderíamos nós ver quem fez o sol à luz do mesmo sol se Ele não tivesse feito «lá no alto, uma tenda para o sol, donde sai, como esposo do seu leito, a percorrer alegremente o seu caminho» (Sl 19,6)? Verdadeiro Criador, Ele é anterior ao sol, precedeu a estrela da manhã, todos os astros e todos os anjos, porque «por Ele é que tudo começou a existir e sem Ele nada veio à existência» (Jo 1,3). Querendo que O víssemos com os nossos olhos de carne que veem o sol, montou a sua tenda debaixo do sol, quer dizer, mostrou-Se na carne manifestando-Se a esta luz terrestre, e o tálamo deste esposo foi o seio da Virgem.

Porque neste seio virginal uniram-se os dois, o esposo e a esposa, o Verbo esposo e a carne esposa. Como está escrito: «os dois serão uma só carne» (Gn 2,24); e o Senhor disse no Evangelho: «Portanto já não são dois, mas um só» (Mt 19,6). Isaías exprime melhor como esses dois se tornam um quando, falando em nome de Cristo, diz: «Como um noivo que cinge a fronte com o diadema, e como a noiva que se adorna com as suas jóias» (61,10). Parece falar de um único indivíduo, que apresenta alternadamente como esposo e como esposa. Não são dois, mas uma só carne, porque «o Verbo fez-Se homem e veio habitar connosco» (Jo 1,14). A Igreja une-se a esta carne e forma-se o Cristo total, cabeça e corpo (Ef 1,22-23).