Terca-feira, 13 de Abril de 2021
2a. Semana da Pascoa
Ciclo da Pascoa
Cor liturgica: Branco

Evangelho do dia: São João 3, 7-15

Primeira leitura: Atos dos Apóstolos 4, 32-37
Leitura dos Atos dos Apóstolos:

32A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava como próprias as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum. 33Com grandes sinais de poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E os fiéis eram estimados por todos. 34Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas vendiam-nas, levavam o dinheiro 35e o colocavam aos pés dos apóstolos. Depois, era distribuído conforme a necessidade de cada um. 36José, chamado pelos apóstolos de Barnabé, que significa filho da consolação, levita e natural de Chipre, 37possuía um campo. Vendeu e foi depositar o dinheiro aos pés dos apóstolos.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 92 (93)

- Deus é rei e se vestiu de majestade, revestiu-se de poder e de esplendor!

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

- Vós firmastes o universo inabalável, vós firmastes vosso trono desde a origem, desde sempre, ó Senhor, vós existis!

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

- Verdadeiros são os vossos testemunhos, refulge a santidade em vossa casa pelos séculos dos séculos, Senhor!

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 3, 7-15

- Aleluia, Aleluia, Aleluia.
- O Filho do homem há de ser levantado, para que quem nele crer possua a vida eterna (Jo 3,14s);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 7"Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer, e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito". 9Nicodemos perguntou: "Como é que isso pode acontecer?" 10Respondeu-lhe Jesus: "Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? 11Em verdade, em verdade te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. 12Se não acreditais quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? 13E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna".

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Coemtário ao Evangelho por Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein)
Carmelita, mártir, Copadroeira da Europa
Poesia «Noite Santa»

«Para que todo aquele que acredita tenha n'Ele a vida eterna»

Meu Senhor e meu Deus,
Tu me guiaste por um longo e obscuro caminho, pedregoso e duro.

Já estava quase sem forças,
tanto que não esperava voltar a ver a luz do dia.
O meu coração estava duro como pedra devido ao sofrimento
quando, diante dos meus olhos, se ergueu a suave claridade duma estrela.

Ela me guiou, fiel, e eu segui-a,
primeiro com passos tímidos, depois mais seguros.
E cheguei por fim à porta da Igreja,
que se abriu, e eu pedi para entrar.

Fui acolhida pela tua bênção proferida pelo teu sacerdote.
No seu interior sucedem-se as estrelas,
estrelas de flores vermelhas que me indicam o caminho que a Ti conduz,
que a tua bondade permite que oluminem o caminho que a Ti conduz.

O mistério que tinha de guardar, escondido no íntimo do coração,
posso finalmente anunciá-lo em alta voz:
Eu creio, e confesso a minha fé!

O sacerdote conduz-me aos degraus do altar,
inclino a cabeça,
e a água santa escorre-me pela fronte.

Senhor, será possível renascer
uma vez passada metade da vida (Jo 3,4)?
Assim o disseste, e para mim tornou-se realidade.

Já não sinto o peso das faltas e das penas dessa vida longa.
De pé, recebi sobre os ombros o manto branco,
Símbolo luminoso da pureza.

Trouxe na mão o círio cuja chama anuncia
que em mim arde a tua vida santa.
E o meu coração transformou-se na manjedoura que por Ti espera.
Por pouco tempo!

Maria, tua Mãe, e também minha, deu-me o nome.
À meia-noite depôs no meu coração o seu bebé recém-nascido.
Oh! Não há coração humano que possa imaginar
o que Tu preparas para aqueles que Te amam (1Cor 2,9).

És meu para sempre e nunca Te deixarei.
Seja qual for o caminho que venha a trilhar, estás sempre comigo.
E nada mais poderá separar-me do teu amor (Rm 8,39).