Segunda-feira, 01 de Novembro de 2021
31a. Semana do Tempo Comum
Cor liturgica: Verde

Evangelho do dia: São Lucas 14, 12-14

Primeira leitura: Romanos 11, 29-36
Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 29Os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. 30Outrora, vós fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia, em conseqüência da desobediência deles. 31Assim são eles agora os desobedientes, para que, em conseqüência da misericórdia usada convosco, alcancem finalmente misericórdia. 32Com efeito, Deus encerrou todos os homens na desobediência, a fim de exercer misericórdia para com todos. 33Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e da ciência de Deus! Como são inescrutáveis os seus juízos e impenetráveis os seus caminhos! 34De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? 35Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa, de maneira a ter direito a uma retribuição? 36Na verdade, tudo é dele, por ele, e para ele. A ele, a glória para sempre. Amém!

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 68 (69)

- Pobre de mim, sou infeliz e sofredor! Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus! Cantando eu louvarei o vosso nome e agradecido exultarei de alegria!

R: Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!

- Humildes, vede isto e alegrai-vos: o vosso coração reviverá, se procurardes o Senhor continuamente! Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres, e não despreza o clamor de seus cativos.

R: Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!

- Sim, Deus virá e salvará Jerusalém, reconstruindo as cidades de Judá, onde os pobres morarão, sendo seus donos. A descendência de seus servos há de herdá-las, e os que amam o santo nome do Senhor dentro delas fixarão sua morada!

R: Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 14, 12-14

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Se guardais minha palavra, diz Jesus, realmente vós sereis os meus discípulos (Jo 8,31s);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo: 12dizia Jesus ao chefe dos fariseus que o tinha convidado: 'Quando tu deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. 13Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos.'

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Comentário do dia por Santo Agostinho, Bispo, Doutor da Igreja
Discurso sobre o salmo 121

«Ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos»

O amor é muito poderoso: ele é a nossa força. Sem ele, de nada nos servirá o resto. «Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos», diz o apóstolo Paulo, «se não tiver amor, sou como bronze que ressoa, ou como címbalo que tine» (1Cor 13,1). Escutai em seguida esta palavra magnífica: «Ainda que distribua todos os meus bens em esmolas e entregue o meu corpo a fim de ser queimado, se não tiver amor, de nada me aproveita» (v. 3). Se não tens senão o amor, mesmo que não possas distribuir nada pelos pobres, ama. Darás apenas «um copo de água fresca» (Mt 10,42), e isso valer-te-á a mesma recompensa que Zaqueu, que distribuiu metade da sua fortuna (Lc 19,8). Como será isso? Um dá pouco, o outro muito e os seus gestos têm o mesmo valor? Pois sim: os recursos são desiguais, mas o amor é igual. [...]

O salmista diz: «Vamos à casa do Senhor» (Sl 121,4). Vejamos se de facto lá vamos. Não são os nossos pés, mas o nosso coração que nos leva. Vejamos se de facto lá vamos; que cada um de vós se interrogue: Que fazes pelo pobre fiel, pelo teu irmão indigente, pelo mendigo que te estende a mão? Vê se o teu coração não será estreito. [...] «Procurai o que faz a paz de Jerusalém» (v.6). O que faz a paz em Jerusalém? «A abundância para os que te amam» (Vulg.). O salmista dirige a palavra a Jerusalém: «Os que te amam estarão na abundância» - a abundância depois da pobreza. Aqui em baixo, a miséria, lá em cima, a abundância; aqui a fraqueza, lá, a força; os que são pobres aqui serão ricos lá em cima. Donde vem a sua riqueza? De terem dado, aqui, os bens que durante algum tempo receberam de Deus; lá, recebem o que Deus lhes dá, por toda a eternidade.

Meus irmãos, aqui os ricos são pobres; é bom que o rico descubra a sua pobreza. Julga-se repleto? Isso é inchaço e não plenitude. Que reconheça o seu vazio a fim de poder ser cumulado. Que possui ele? Ouro. Que lhe falta? A vida eterna. Que olhe bem para o que tem e para o que lhe falta. Irmãos, que dê o que possui, a fim de receber o que não tem.