Domingo, 28 de Novembro de 2021
1o. Domingo do Advento
Ciclo do Natal
Cor liturgica: Roxo

Evangelho do dia: São Lucas 21, 25-28.34-36

Primeira leitura: Jeremias 33, 14-16
Leitura do livro do Profeta Jeremias:

14"Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei cumprir a promessa de bens futuros para a casa de Israel e para a casa de Judá. 15Naqueles dias, naquele tempo, farei brotar de Davi a semente da justiça, que fará valer a lei e a justiça na terra. 16Naqueles dias, Judá será salvo e Jerusalém terá uma população confiante; este é o nome que servirá para designá-la: 'O Senhor é a nossa justiça'".

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 24 (25)

- Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação!

R: Senhor meu Deus, a vós elevo a minha alma!

- O Senhor é piedade e retidão e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho.

R: Senhor meu Deus, a vós elevo a minha alma!

- Verdade e amor são os caminhos do Senhor para quem guarda sua aliança e seus preceitos. O Senhor se torna íntimo aos que o temem e lhes dá a conhecer sua aliança.

R: Senhor meu Deus, a vós elevo a minha alma!

Segunda leitura: Tessalonicenses 3, 12-4, 2
Leitura da primeira carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

Irmãos, 12o Senhor vos conceda que o amor entre vós e para com todos aumente e transborde sempre mais, a exemplo do amor que temos por vós. 13Que assim ele confirme os vossos corações numa santidade sem defeito aos olhos de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos. 4,1Enfim, meus irmãos, eis o que vos pedimos e exortamos no Senhor Jesus: aprendestes de nós como deveis viver para agradar a Deus e já estais vivendo assim. Fazei progressos ainda maiores! 2Conheceis, de fato, as instruções que temos dado em nome do Senhor Jesus.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21, 25-28.34-36

- Aleluia, Aleluia, Aleluia.
- Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade e a vossa salvação nos concedei! (Sl 84,8);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 25"Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. 26Os homens vão desmaiar de medo só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. 27Então eles verão o Filho do homem vindo numa nuvem com grande poder e glória. 28Quando essas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. 34Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; 35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. 36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do homem".

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Comentário ao Evangelho por Beato Jan van Ruysbroeck, cónego regular
«Núpcias espirituais», 1

«Então hão de ver o Filho do homem vir»

«Aí vem o esposo» (Mt 25, 6). É Cristo, nosso esposo, que profere esta palavra. Em latim, o termo «venit» contém dois tempos do verbo: o passado e o presente; o que não o impede de visar também o futuro. Por isso, vamos considerar as três vindas do nosso esposo, Jesus Cristo.

Quando da primeira vinda, Ele fez-Se homem por causa do homem, por amor. A segunda vinda tem lugar todos os dias, frequentemente e em muitas ocasiões, em todos os corações que amam, acompanhada de novas graças e de novas dádivas, consoante a capacidade de cada um. A terceira vinda é aquela que terá lugar no dia do Juízo ou na hora da morte. [...]

Deus criou os anjos e os homens pela sua bondade infinita e pela sua nobreza: quis fazê-lo para que a beatitude e a riqueza que Ele próprio é fossem reveladas às criaturas dotadas de razão, e para que estas pudessem saboreá-l'O no tempo e usufruir d'Ele para lá do tempo, na eternidade. Deus fez-Se homem pelo seu amor imenso e pelo infortúnio dos homens, que estavam alterados pela queda do pecado original e eram incapazes de se curar dele. Mas o motivo por que Cristo realizou todas as suas obras na Terra, não apenas segundo a sua divindade mas também segundo a sua humanidade, é quádruplo, a saber: o seu amor divino, que não tem fim; o amor criado, ou caridade, que possuía na sua alma, graças à união com o Verbo eterno e à dádiva perfeita que seu Pai Lhe fizera desse mesmo amor; o grande infortúnio em que se encontrava a natureza humana; e, por fim, a honra de seu Pai. Foram estes os motivos da vinda de Cristo, nosso esposo, e de todas as suas obras.